Trânsito e Meio ambiente - Meio Ambiente

O termo meio ambiente foi atribuído em 1909, pelo biólogo e pioneiro da ecologia, o Báltico Jakob von Uexküll.

É o espaço no qual interagem componentes biótipos, abiótipos, leis da física, fenômenos da natureza, luz solar e o equilíbrio térmico.

  • Componentes biótipos são os seres vivos: animais e vegetais.
  • Componentes abiótipos são os componentes não vivos: água, minerais, gases atmosféricos, radiações, luz solar, calor.

A Constituição da República Federativa do Brasil, de 1988, dispões: Artigo 228: “Todos tem direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público o dever de defendê-lo e à coletividade o de preservá-lo para as presentes e futuras gerações”.

O meio ambiente tem o aspecto físico, geográfico, fenômenos na natureza, leis da física, vida, etc., e o social humano. Poderíamos ainda chamá-lo de convivencial. Essa convivência implica estarmos permanentemente em comunicação, influenciando, discutindo em meio uns aos outros. Os prejuízos ambientais são a expressão dos conflitos sociais humanos, revelam o confronto entre interesses privados e o bem coletivo.

Embora os elementos que constituem o meio ambiente não sejam passíveis em sua maioria de apropriação privada como ar, a água, etc., podem estar sujeitos a um uso que favorece interesses privados, em detrimento da coletividade.

Quando uma indústria libera resíduos tóxicos, está atingindo um espaço que não diz respeito somente a ela, mas de todos que ali trabalham, moram ou passam. Quando os resíduos são liberados num rio, essas indústrias estão afetando as condições ambientais, das quais depende a sobrevivência de toda a população que utiliza a água desse rio. Apesar de haver uma forte dimensão comum é direito de todos o meio ambiente de qualidade, isto reza na Constituição. Existem enormes diferenças na maneira como cada setor da sociedade afeta o meio ambiente e é afetado por ele, em geral, as populações mais pobres são as que pagam mais caro à má gestão do meio natural, pois tem sua saúde prejudicada e a vida encurtada

O protocolo de Kyoto assinado por 163 países e rejeitado pelos Estados Unidos, precisamente o país que emite 25% de todo o gás carbônico na atmosfera. Estes países se comprometeram a reduzir 5% das emissões desse gás em relação aos níveis lançados em 1990.

O simples ato de acender um cigarro produz CO², parte vem da queima do fumo e parte do gás do isqueiro, mas também é produzido por vários tipos de sprays, em motores de avião, circuitos de refrigeração, espuma de plástico, plástico poroso, chips de computadores, solventes, queima de combustíveis fósseis, etc. O Protocolo de Kyoto coloca o Brasil em uma posição privilegiada, o estoque de carbono do planeta está em grandes reservatórios intercomunicantes, em cada reservatório encontramos carbono em um tipo de molécula, na atmosfera é o CO², nos seres vivos são os açúcares e outras moléculas sintetizadas a partir dele.

A atividade humana acelerou os processos que regulam o fluxo de carbono entre os reservatórios naturais, aumentando a concentração de CO², nos combustíveis fósseis como o petróleo, são moléculas de hidrocarbonetos.

A fotossíntese é um processo capaz de retirar CO² da atmosfera: durante o dia a vegetação de superfície e as marinhas, usam a energia solar para combinar gás carbônico e água, formando açúcar e outras moléculas. À noite, ou quando as plantas são queimadas o CO² é liberado e volta para atmosfera. Neste caso, existe um caminho de duas mãos entre o carbono presente nos seres vivos e o presente na atmosfera, havendo equilíbrio entre esses processos e a concentração de CO² na atmosfera não é alterada.

Grandes queimadas, desmatamentos queima dos combustíveis fósseis alteraram este equilíbrio. Com o protocolo de Kyoto, este caminho de mão única da queima dos derivados do petróleo para a atmosfera, vai ter de pagar pedágio. Para liberar CO² na atmosfera o poluidor terá de comprar este direito de quem for capaz de retirá-lo da atmosfera. É aí que entra em campo o Brasil, não somente temos a maior máquina de retirar CO² da atmosfera: nossa floresta amazónica, como temos o Sol e a água, necessários para sermos os maiores fotossintetizadores do planeta.

O meio ambiente é a base natural sobre a qual se estruturam as sociedades humanas: a atmosfera, a água, o solo, a flora a fauna, etc., dão o suporte físico, químico, e biótico para a permanência das civilizações humanas sobre o planeta. É constituído basicamente por elementos que não são passíveis de apropriação privada. Este é o caso do ar e, em grande parte, das águas. Ninguém pode ser privado do acesso a estes bens, ainda que no caso da água este acesso possa ser condicionado pela distância dos rios, lagos, aquíferos, lençóis freáticos ou pela existência de sistemas artificiais de distribuição. No entanto temos o poder de alterar as condições do uso da água e do ar.

Poluição é um processo pelo qual lançamos no meio ambiente resíduos sólidos, líquidos e gasosos, daí são forçadamente consumidos por seres vivos.

Problemas globais

  • Má gestão da biosfera;
  • Problemas energéticos;
  • Guerras;
  • Desertificação do solo;
  • Descontrole populacional;
  • Pobreza e fome, aliados à explosão demográfica;
  • Chuva ácida;
  • Superaquecimento do planeta;
  • Poluição da atmosfera;
  • Destruição da camada de ozônio;
  • Desequilíbrio dos fenômenos da natureza;
  • Diminuição da água potável;
  • Destruição dos oceanos;
  • Aumento do nível dos oceanos;
  • Acúmulo de lixo tóxico e nuclear.

Problemas nacionais

  • Vazamentos de oleodutos;
  • Vazamento de óleo de navios e veículos rodoviários;
  • Assoreamento dos rios e enchentes;
  • Desmatamento;
  • Destruição das florestas;
  • Contaminação e exaustão do solo devido a exploração descontrolada do solo e subsolo, com a destruição de importantes reservas minerais, consequentemente a desertificação;
  • Erosão e consequentemente desertificação;
  • Descumprimento das leis;
  • Fiscalização deficiente;
  • Problemas de saneamento;
  • Extinção de animais e vegetais;
  • Falta a gestão adequada das bacias hidrográficas, aquíferos, lençóis freáticos destruíndo a água potável;
  • Urbanização descontrolada nas principais metrópoles do País.

Problemas locais

  • Invasão de áreas de mananciais e florestas;
  • Problemas com a utilização de produtos químicos;
  • Problemas com o esgoto não tratado e inesistência de saneamento básico;
  • Falta de programas de educação ambiental coletiva;
  • Qualquer queima produz gás carbônico: queimadas, queima de lixo e todos os combustíveis.
  • O gás para refrigeração é o CFC (clorofluorcarbono), destrói a camada de ozônio.
  • A fumaça expelida pelo veículo é decorrente da mistura de ar vezes combustível.
  • Gases emitidos na combustão, variam conforme o combustível utilizado no veículo.

A poluição causada pelos veículos automotores é a maior dentre todas as atividades humana, e a que em condições normais expelem para a natureza 50% dos gases tóxicos, sendo os principais agentes poluidores através da combustão de petróleo e seus derivados.

 

Recomendar esta página via e-mail: