Trânsito e Meio ambiente - Educação Ambiental

O que é Educação Ambiental

Significa entender como funciona as comunidades ecológicas (ecossistemas) e usar estes princípios para organizar a vida de maneira sustentável, inclusive com a tecnologia.

Se fundamenta na mudança de mentalidade, comportamentos e valores. Pensando globalmente e atuando localmente, percebendo que o meio ambiente equilibrado está acima dos interesses e necessidades individuais, coletiva e local.

Processo de aprendizagem e comunicação dos problemas relacionados à interação no ambiente natural e tecnológico, como instrumento de formação de uma consciência, através do conhecimento e da reflexão sobre a realidade ambiental e sua problemática, capacitando através da informação todos os seres humanos, para o desenvolvimento de habilidades tecnológicas que solucionem nossas necessidades e que todos nós sejamos capazes de produzir o desenvolvimento sustentável, onde a tecnologia exista com harmonia e seja cada vez mais desenvolvida por nós, sem ferir o meio e os outros seres vivos, desta e de futuras gerações.

A sonegação de informações ambientais gera danos irreparáveis a sociedade humana e ao ecossistema, porque deve ser protegido por todos nos, inclusive pelo Poder Público.

Objetivos da Educação Ambiental

  1. Conscientização: levar-nos ao conhecimento do meio ambiente global e os problemas que afetam a todos, e nos tornarmos sensíveis a eles.
  1. Conhecimento: devemos ter acesso a uma compreensão essencial do meio ambiente global, dos problemas que estão interligados e do papel de cada um de nós tem neste contexto.
  1. Comportamento: devemos ter interesse pelo meio ambiente e vontade de contribuir para sua proteção e qualidade. As atitudes podem ser das mais simples as mais complexas, tais como não fumar em locais não permitidos, utilizar mais os meios de transportes coletivos, respeitar as regras de trânsito, etc.
  1. Competência: adquirirmos habilidade necessária para a solução dos problemas. Especialistas, autodidatas e a população, devemos juntos buscar meios técnicos para resolver os problemas ambientais.
  1. Capacidade de Avaliação: devemos saber avaliar os programas ambientais em função de fatores de ordem ecológica, política, econômica, social, estética e educativa, com preocupações com o local e o global, com o hoje e o futuro. Devemos ter conhecimento suficiente para avaliar se projetos são duvidosos ou não.
  1. Participação: devemos reconhecer nossas responsabilidades, direitos e deveres, para uma melhor qualidade de vida.

Carta de Belgrado. Belgrado, Iugoslávia, 1975.

Agenda 21

Para manter normas objetivas em que a humanidade conviva harmoniosamente com o progresso, seguindo o mesmo pensamento da conferência de Estocolmo de 1972 e da Carta de Belgrado em 1975, surgem ações entre países como a Agenda 21 e a Agenda 21 Local que nasceram no Rio 92, a maior conferência internacional sobre meio ambiente e desenvolvimento sustentável já realizada.

Trata-se de um documento com concordância de idéias, o qual contribuíram governos e instituições da sociedade civil de 179 países num processo preparatório de dois anos culminando na realização da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, em 1992 no Rio de Janeiro, conhecida como ECO-92.

A Agenda 21 é um processo de planejamento participativo que analisa a situação atual de um país, município e/ou região, programando um futuro de forma sustentável. Não é uma Agenda Ambiental e sim uma Agenda de Desenvolvimento Sustentável, onde evidencia-se o meio ambiente. A Agenda considera dentre outras, questões estratégicas ligadas à geração de emprego e de renda, à construção de cidades sustentáveis, à adoção de novos modelos e instrumentos de gestão. Visa mobilizar segmentos da sociedade, chamando-os como “parceiros do desenvolvimento sustentável”.

É um programa de ação que constitui a promoção em escala planetária, de um novo padrão de desenvolvimento, conciliando métodos de proteção ambiental, justiça social e eficiência tecnológica e econômica.

A Comissão de Políticas de Desenvolvimento Sustentável e da Agenda 21 Nacional, consolidaram sob seis temas básicos da Agenda 21 Brasileira: Gestão de Recursos Naturais, Redução das Desigualdades Sociais, Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento Sustentável, Agricultura Sustentável, Infra-Estrutura e Integração Regional e Cidades Sustentáveis.

Criada por decreto, no âmbito da câmara de Políticas Naturais da Presidência da República esta comissão tem por finalidade propor políticas e estratégias de desenvolvimento sustentável e coordenar a elaboração e implementação da Agenda 21, reúne representantes da sociedade civil organizada e ministérios afetos às questões de desenvolvimento e de meio ambiente.

Recomendar esta página via e-mail: