Você no Trânsito - Pedestre

Trânsito é o conjunto de deslocamentos diários de pessoas pelas calçadas ou passeios e pistas de rolamentos; é a movimentação geral de pedestres e de diferentes tipos de condutores. O trânsito ocorre em espaço público e reflete o movimento de múltiplos interesses, atendendo as necessidades de trabalho, saúde, lazer e outras coisas, muitas vezes conflitantes. Para garantir o equilíbrio entre esses interesses coletivos é que se estabelecem acordos sociais, sob formas de regras, normas e sinais, que sistematizados formam as leis.

Compreender as leis de trânsito e respeitá-las garante a proteção da vida, que é nosso bem maior.

A preocupação com a qualidade de vida e a segurança está presente quando se fixam regras de comportamento especialmente no trânsito, onde ocorrem situações de risco que precisam ser conhecidas e gerenciadas por todos. A convivência entre as pessoas utilizando espaços públicos, envolve valores como responsabilidade e solidariedade.

Nereide Tolentino

Papéis do cidadão no Sistema Trânsito

  • No seu cotidiano o cidadão assume diversos papéis que envolvem expectativas, dependendo em que situação se encontra;
  • Em uma situação é pedestre noutra passageiro, em outra é condutor;
  • Na circulação não existem papéis fixos. Um mesmo cidadão assume vários papéis em diferentes momentos: pedestre, passageiro, condutor, cavaleiro;
  • Os interesses, as expectativas e, consequentemente, a conduta demonstrada no exercício de cada um desses papéis são também diversos.

Relações interpessoais do cidadão no Sistema Trânsito

Com os usuários da via

  • Cortesia, respeito, tolerância e solidariedade são fundamentais na relação com os outros usuários da via;
  • Interpretar as mensagens ou pedidos emitidos pelas pessoas facilita nossa relação no trânsito;
  • Devemos interagir cooperativamente com os: pedestres, condutores, inclusive dos veículos não automotores e cavaleiros. Uma atenção, uma delicadeza ou cortesia muitas vezes “derruba” a irritação do outro;
  • Comunicar-se adequadamente com os outros usuários da via, torna visível nossa intenção.

Principais causas de acidentes

Embora não haja uma forma padrão e sistemática de pesquisa sobre as causas de acidentes, pode-se observar que em todos os levantamentos realizados o fator humano tem uma participação significativa como agente causador dos acidentes.

Pedestre

As normas para circulação como pedestre, visam garantir a prioridade e segurança no trânsito (o ciclista desmontado, empurrando a bicicleta equipara-se ao pedestre).

  • Nas áreas urbanas, quando não houver passeios ou quando não for possível a utilização deles, a circulação de pedestres na pista de rolamento será feita com prioridade sobre os veículos, pelos bordos da pista, em fila e no sentido contrário ao dos condutores;
  • Nas áreas rurais, quando não houver acostamento, ou não for possível a utilização dele, a circulação de pedestres na pista de rolamento será feita com prioridade sobre os veículos, pelos bordos da pista, em fila e no sentido contrário ao dos condutores;
  • Antes de cruzar a pista de rolamento o pedestre tomará precauções de segurança, levando em conta a visibilidade, a distância e a velocidade dos veículos, utilizando faixas de pedestres quando elas existirem;
  • Onde não houver faixa de pedestres, o cruzamento da via deverá ser feito em sentido perpendicular ao seu eixo;
  • Onde houver semáforo, obedecer as indicações das luzes;
  • Utilize calçadas ou passeios nas vias urbanas e os acostamentos nas vias rurais para circulação (art. 68 do CTB).

O Código de Trânsito Brasileiro no artigo 254, proíbe o pedestre de permanecer ou andar na rua (exceto quando estiver atravessando de um lado para o outro), cruzar a rua nos viadutos, pontes ou túneis, andar fora da faixa de pedestres, quando existem, passarelas e passagens subterrânea e desobedecer a sinalização de trânsito.

  • Olhe sempre para todos os lados antes de atravessar para verificar o fluxo dos veículos e avaliar as condições para a travessia, atravesse sempre pela faixa de pedestres quando ela existir;
  • Se um veículo de emergência com dispositivo de alarme sonoro estiver se aproximando, aguarde no passeio e só atravesse após a passagem dele;
  • Atravesse a via sempre em local que possibilite aos demais enxergá-lo. Os pontos cegos de visão entre condutores e pedestres são: curva, subida, descida, vegetação alta, caule das árvores, postes, veículos estacionados, na frente ou atrás dos ônibus parados, ou qualquer outro obstáculo que impeça de você ver o veículo e que impeça seu condutor de ver você;

As faixas de pedestre visam sua segurança na travessia da pistas.

Utilize a faixa ou passagem de pedestres sempre que elas existirem a uma distância de até 50 metros.

  • Onde houver semáforo de pedestres, obedeça a indicação das luzes;
  • Onde não houver faixa ou passagem apropriada, atravesse sempre em linha reta, fazendo o menor percurso e sem parar sobre a via. Ande com passos rápidos e firmes, mas sem correr;
  • Não atravesse as pistas de rolamento em viadutos, pontes e túneis;
  • Utilize a passarela ou passagem subterrânea quando houver.

Condição pessoal

Sua apresentação pessoal é o seu retrato.

  • Cuide da sua apresentação pessoal. Vista-se com roupas que facilitem seus movimentos. Prefira roupas refletivas claras, se você for pedestre ou ciclista.
  • Suas condições de visão, audição e reflexos são importantes para sua segurança e de terceiros.
  • Realize exames médicos periodicamente.

O álcool e as demais drogas, mesmo que os remédios, causam reações em seu organismo e modificando seu comportamento, comprometendo a atenção e retardando seus reflexos.

  • Conheça os efeitos destas substâncias: diminuição do raciocínio rápido, da capacidade de ouvir e enxergar e da reação muscular.
  • Saiba que esses efeitos influem na sua capacidade de locomoção e na sua habilidade para conduzir um veículo.
  • Somente tome remédios com indicação médica.
Recomendar esta página via e-mail: